CheckList NewPOP – Setembro 2014

Aloha Surfistas, no mês de Setembro a Editora NewPOP coloca quatro mangás nas bancas, sendo dois lançamentos e um volume final!


CORPSE PARTY MUSUME

Mika Orie e Makoto Kedouin

NewPOP_Corpse2Volume 2 (Série Concluída em 3 edições)

R$ 12,00

12,5 cm X 18,2 cm – 172 páginas – Papel Off-set – Capa Cartonada

Na dimensão paralela onde tudo parece ser amaldiçoado, Satoshi e Yuka Mochida continuam em busca da saída para finalmente se libertarem desse pesadelo dentro da escola. Porém, cada vez que eles atravessam os corredores e entram nas salas de aula, novos perigos se apresentam e se desdobram deixando mais impossível a esperança de sobreviver.

A chave para a liberdade pode estar com o espírito que eles mais temem: “A Garota de Vermelho”. Encontrá-la será fundamental para a resolução do mistério. Será que é possível voltar vivo? E assim continua a viagem para a loucura…


PUELLA MAGI ORIKO MAGICA

Kuroe Mura (Desenho) e Magica Quartet (Adaptação)

NewPOP_Oriko2Volume 2 (Edição Final)

R$ 12,00

12,8 cm X 18,7 cm – 162 páginas – Papel Off-set – Capa Cartonada

Oriko está determinada a impedir que sua visão do futuro se concretize, a qualquer custo. Sua companheira, Kirika, tem sido a distração, matando outras garotas mágicas. Contudo, está claro que isso já não irá funcionar mais, é preciso destruir logo aquela garota.  Ela só não sabe que seu “alvo” tem uma protetora, que fará qualquer coisa para salvar a garota. Que futuro será realizado neste último volume de Oriko Magica?


BATTLE ROYALE: ANGELS’ BORDER

Takami Koushun (Roteiro), Ohnishi Mioko e Oguma Youhei (Arte)

NewPOP_BRoyaleVolume Único

R$ 16,00

12,7 cm X 18,9 cm – 250 páginas – Papel Off-set – Capa Cartonada

Em uma realidade onde o fascismo se espalhou pelo mundo, um Japão diferente do que conhecemos começou um misterioso projeto: o Battle Royalle. Uma classe do ginásio é escolhida aleatoriamente, de qualquer lugar do país, e jogada em uma ilha, onde os alunos devem matar seus colegas. Somente um poderá sobreviver.

Uma história jamais contada da trama, “as meninas do farol”, é finalmente contado em detalhes nesta quadrinização pelo autor do livro de grande sucesso. O mundo de Battle Royale, pelos olhos das garotas que se abrigaram no farol de vigilância da ilha, fazendo um pacto de proteção mútua. Mas até onde a amizade pode conter o instinto de continuar viva?


STREET FIGHTER: SAKURA GANBARU

Masahiko Nakahira

NewPOP_Sakura1Volume 01 (Série Concluída em 2 edições)

R$ 19,90

14,6 cm X 21,0 cm – 182 páginas – Papel Off-set – Capa Cartonada

Sakura volta numa obra só dela para virar o seu mundo de cabeça para baixo nessa divertida história de comédia e ação! Descubra como Sakura se tornou uma lutadora de verdade, e a acompanhe enquanto participa de torneios, é perseguida por sua rival Karin e procura incansavelmente por “aquela pessoa”! Confira mais esta série do impressionante mundo de STREET FIGHTER, da CAPCOM.


Esse mês temos a aguardada conclusão de mais uma obra da saga Madoka Magica, além do volume dois cheio de calcinhas de Corpse Party e os lançamentos que com certeza terei em minha prateleira: Street Fighter – Sakura Ganbaru e Battle Royale – Angels Border.

Se como eu, você também pretende adquirir tudo, o custo total será de:

 R$ 59,90

Quais mangás vocês pretendem comprar da NewPOP esse mês Surfistas? E não esqueçam dos 3C’s: Comentem, Curtam e Compartilhem.

Mahalo!

Anúncios

Surfando Livros – O Menino do Pijama Listrado (John Boyne)

“Jovem rapaz, eu sou, de fato, médico. Só porque um homem olha para o céu à noite, isso não faz dele um astrônomo, sabia?”

Aloha Surfistas da Imaginação, preparem suas pranchas e seus pijamas listrados, para surfarmos juntos com Bruno nas gélidas águas de Berlim:

“O Menino do Pijama Listrado” – por John Boyne

Menino de pijama ListradoNível de Dificuldade do Texto:  Iniciante

(Nova classificação para facilitar a entrada de novos leitores. Os níveis de dificuldade serão divididos em 3 classes:

Iniciante = Livro indicado para pessoas sem o hábito de ler, textos de fácil entendimento;

Intermediário = Livro indicado para leitores casuais, textos descritivos e com certa lentidão;

Avançado = Livro indicado para leitores “compulsivos”, textos pesados, com excessivo número de personagens, localidades e descrições.)

Surfando o Texto

O quão inocente é uma criança? Qual a visão dela acerca dos “problemas” criados e combatidos pelos tão “corretos” adultos?

Bruno, uma criança, ou melhor, um jovem rapaz de nove anos, nos apresenta seu vasto mundo, de constantes diversões, regras e questionamentos, que em pouco tempo é devastado por uma mudança inaceitável: mudar-se de Berlim para uma cidade chamada Haja-Vista (ou pelo menos é isso que ele entende).

E seus amigos? Suas explorações na enorme casa de Berlim? Seu corrimão escorregador? Os pais de Bruno devem ter cometido um engano. Como podem cometer ato tão absurdo? O que ele fez para merecer esse castigo?

Com essa premissa embarcamos em um mundo de descobertas em Haja-Vista em companhia do Bruno. É impossível não se identificar com o garoto, afinal quem nunca teve que mudar de casa, escola, amigos? Os terrores, curiosidades e questionamentos, vividos por Bruno são os mesmos que nós já passamos, que o livro trás de forma magistral e simples, você realmente se sente com nove anos, você quer balançar em uma árvore e explorar esse novo mundo.

Mas e o pijama listrado do título?

Só posso dizer que a pureza de um coração, enxerga bondade e diversão em qualquer lugar que for.

Surfando a Edição

Uma publicação da Editora Cia. das Letras, em sua 40ª reimpressão. Com capa texturizada lembrando um tecido, orelhas e páginas amareladas.

Mas o que me chamou a atenção foi a tradução feita Augusto Pacheco Calil. Ele conseguiu transmitir para o português as palavras mal interpretadas por um garoto de nove anos, o que faz toda a diferença no livro.

Dropo ou Tomo Caldo?

Dropo quantas vezes possíveis!

Infelizmente havia assistido o filme antes da leitura, portanto não tive as surpresas que o livro está disposto a proporcionar. Entretanto, a leitura não se perde, afinal o filme não é capaz de mostrar o mundo através dos olhos de uma criança. Ler “O Menino do Pijama Listrado” te faz voltar no tempo e questionar em qual momento de nossas vidas perdemos a pureza e a gentileza.

Portanto aconselho a todos. Se ainda não assistiu o filme, leia o livro primeiro, pois suas reações serão surpreendentes. Se já assistiu ao filme, o livro te dá outra visão, outros questionamentos.

Link para compra: O Menino do Pijama Listrado no Submarino

Deixem suas críticas e comentários abaixo e nos vemos na próxima.

Mahalo

Surfando a Bienal do Livro 2014

Aloha Surfistas, na semana passada ocorreu mais uma Bienal do Livro (de 22 à 31 de Agosto) em São Paulo. O Surfando Letras marcou presença no evento e trás para vocês todas as loucuras do segundo Sábado de exposição (30 de Agosto).

23bienalSurfando o Trajeto

A Bienal do Livro foi realizada no centro de Exposições do Anhembi, um local de fácil acesso, ponto facilmente visto da Marginal Tietê. Entretanto, esse evento atrai milhares de pessoas de diversas cidades não só do estado de São Paulo, como de outros também. Utilizando dessa lógica, podemos chegar a conclusão que uma grande parcela do público não tem conhecimento algum de São Paulo. Sendo assim, na minha humilde opinião, um evento dessa magnitude deveria possuir placas sinalizando o trânsito nos principais acessos da cidade, o que convenhamos seria facilmente arranjado com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a exemplo do que foi feito na Copa do Mundo, levando em consideração as determinadas proporções. Algumas placas sinalizando a Marginal Tietê e as saídas mais fáceis para se chegar ao evento, não dariam prejuízo algum para os organizadores.

Alguém deve estar pensando: “Mas Lucas, se a pessoa não conhece São Paulo ela pode ir de ônibus, já que é disponibilizado gratuitamente o transporte no dia do evento, da rodoviária à Bienal do Livro!”. Sim, concordo e aplaudiria se a fila de espera para se pegar o transporte não estivesse demorando em torno de 2 horas!! Sim, você leu certo, 2 horas de fila para pegar um ônibus.

Então sou obrigado a Dar um Caldo no quesito trajeto. E fica a dica para o Staff: facilitem a chegada com sinalização apropriada nos principais acessos à São Paulo e disponibilizem mais ônibus para reduzir o tempo de espera.

 

Surfando a Entrada

Após chegarmos na Bienal as coisas não foram tão fáceis, falta de indicação de postos de venda, funcionários tão confusos quanto as pessoas que chegavam, sem contar o fator, “pessoas sem educação”. Gente, filas foram criadas para dar um pouco de organização em meio ao caos, portanto as mesmas DEVEM SER RESPEITADAS! Mas o brasileiro é uma raça incrível, que não perde tempo em se favorecer e prejudicar o próximo.

Quando conseguimos nos localizar adentramos à “pequena” fila, que seria a nossa estadia nas próximas 3 horas (como disse a minha namorada: “Nem a fila da montanha-russa do Hopi Hari demora tanto”).

Por sorte, também existem pessoas educadas e simpáticas, entre elas está Otávio e sua filha, que vieram de Monte Sião/MG para a Bienal, conversamos, rimos da situação e trocamos “figurinhas”, o que fez as 3 horas voarem!

Com certeza tem mais alguém pensando: “Lucas, você foi burro, deveria ter comprado pela internet, assim não enfrentaria a fila”. Sim, deveria mesmo ter comprado. Mas vamos juntos fazer um trabalho de reflexão.

Um evento que reuniu mais de 700 mil pessoas com tão poucas bilheterias?

Mais um ponto que deve Tomar um Caldo, a falta de organização e o despreparo dos funcionários!

Filas BienalSurfando a Praça de Alimentação

Após toda a fila, finalmente entramos! Mas já estávamos cansados e com fome, assim fomos até a praça de alimentação. Como tudo na Bienal, estava lotada e com filas gigantescas. Decidimos comer algo rápido, o Bob’s se tornou o prato mais convidativo, foram 20 minutos de fila mais R$56,00 para dois lanchinhos (daqueles de micro ondas que você compra no mercado por R$3,00), refrigerante e fritas.

Como todo bom evento que se preze, não existem mesas suficientes, assim nada melhor que sentar no chão para aquele almoço maneiro, quando outra alma bondosa apareceu em nossas vidas. A senhora Márcia, estava sentada sozinha na mesa, e nos convidou a acompanhá-la. O almoço que tinha tudo para se tornar cansativo, foi extremamente divertido e empolgante. Durante o almoço ela nos contou de sua jornada para conseguir o autógrafo do inglês Ken Follett, que mesmo sem conseguir retirar a senha, não desistiu. Até que seus gritos foram ouvidos, e conseguiu seus autógrafos e fotos. Isso me deixou extremamente feliz, havíamos acabado de nos conhecer, mas a educação e simpatia foram tão grandes que me alegrei quando ela me mostrou as fotos que conseguiu.

O almoço tinha tudo para Tomar um Caldo, comida ruim e cara. Mas a história que nos foi compartilhada valeu a pena. Portanto Dropo Fácil esse almoço.

 

Surfando os Estandes

Em poucos minutos pudemos descobrir que todos os estandes onde se encontravam os escritores, e aqueles mais famosos (Livraria Saraiva, Comix e etc) deveriam ser mantidos à distância.

Os com escritores famosos não eram poucos, era possível sentir o empurra-empurra a muitos metros dos mesmos, lugares como:

Editora Rocco (com Raphael Draccon), Editora Leya (com Affonso Solano), Editora Melhoramentos (com Ziraldo), Editora Panini (com Vitor & Lu Cafaggi, Shiko, Gustavo Duarte, Danilo Beyruth, Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho) e etc.

Eu que estou ranzinza demais e quero distância de multidões. Mas aprovo totalmente tudo o que ocorreu, pessoas horas a fio nas filas aguardando para poder ganhar um autógrafo e tirar seu selfie com o escritor favorito. Ao longe escutava os berros a cada nova aparição, é extremamente bom ver o nível que a literatura e quadrinhos nacionais está atingindo. Vi pessoas na fila da Editora Rocco com o livro “Cemitério de Dragões” que aguardavam o autógrafo do Raphael Draccon e devoravam o livro, não duvido nada, que alguém tenha lido o livro todo antes de ganhar o autógrafo.

Portanto eu Dropo as editoras e estandes de lojas, fizeram um excelente serviço aos fãs.

Estandes BienalSurfando o Saldo ao Fim do Dia

Após toda canseira e maluquice, saí de lá feliz e com vários livros e quadrinhos que queria.

Mas o ponto alto do meu sábado foi quando estive na Editora Gutenberg. Lá o nome de um livro me chamou a atenção, “Exorcismos, amores e uma dose de blues” de Eric Novello. E minha surpresa quando questionei sobre a história e a atendente chamou o próprio escritor para conversar comigo. Tivemos um longo papo, ele me contando toda a loucura de sua história, sua trajetória até ali e a felicidade de poder publicar seu livro em uma editora grande.

Eric é um cara educadíssimo e extremamente apaixonado pelo o que faz, o que me fez comprar seu livro sem dúvidas. E como prometi para o próprio, logo tem resenha aqui no blog.

Lucas com Eric NovelloDropo ou Tomo Caldo?

A Bienal do Livro é parada obrigatória para todos os apaixonado por livros e quadrinhos, mas diante de tantos problemas é um pouco desanimador. Frequento o evento a anos, e não deixarei de frequentar, mas prometi a mim mesmo, que na 24ª edição participarei no meio da semana.

Portanto Dropo, com um pouco de dificuldade, mas ainda assim Dropo.

 

E vocês Surfistas, foram a 23ª Bienal do Livro? O que acharam? Deixem seus comentários, curtam, compartilhem e até a próxima.

Mahalo